Dicas

Afinal, quanto tempo é necessário para aprender inglês?

Aprender inglês
Escrito por Fluenglish

Diversas escolas de idiomas estipulam que o prazo de 1.200 horas é o tempo ideal para qualquer pessoa aprender inglês, levando-se em conta o conteúdo programático planejado. O tempo necessário para a efetivação dessa quantidade de horas vai depender da disponibilidade, vontade e ritmo de cada pessoa.

Alguns cursarão os módulos no formato tradicional, durante 8 anos. Outros o farão em módulos intensivos, entre um ano e meio e 2 anos. Há até mesmo aqueles que aprenderão sozinhos, dedicando-se por conta própria, talvez em menos tempo do que os intensivos.

Entenda!

Como o nosso cérebro age enquanto aprendemos

Antes de falarmos sobre o tempo de que precisamos para aprender inglês, vamos apresentar para você como o nosso cérebro age enquanto adquirimos novos conhecimentos.

Depois que falarmos sobre isso, você certamente vai mudar os seus hábitos de estudos (sobre qualquer assunto) e recomendar essa mudança para todos os seus colaboradores. Afinal, o mecanismo de aprendizado do nosso cérebro é o mesmo para qualquer tipo de conteúdo, não apenas para os estudos de inglês ou outros idiomas.

Assim que aprendemos algo novo, nosso cérebro guarda a informação em um local destinado para as memórias de trabalho. Quando nos esforçamos, elas se tornam memórias de curto prazo. Caso o nosso contato com o tema seja constante, mudamos a informação para o lugar destinado para as memórias de longo prazo.

Essa mudança de chave é essencial, porque, se não utilizarmos a informação em curto prazo, nosso cérebro a eliminará por causa de um mecanismo de defesa que temos que permite que a gente armazene apenas o que ele entende como necessário.

Mas como conseguimos fazer essa mudança? Há duas formas: estudar o mesmo conteúdo por longas horas e depois fazer uma grande pausa ou distribuir, ao longo do dia, o estudo de conteúdos diferentes por períodos menores, com pequenos intervalos para descanso. Vai do gosto de cada um e do jeito que combina mais com o estilo do aluno.

A segunda opção costuma ser mais efetiva, uma vez que nosso cérebro se cansa no decorrer das horas e não retém o conhecimento após certo período. A maioria das pessoas aprende muito mais com as breves repetições.

A chave do sucesso é a prática constante. Daí a importância de ler livros e sites em geral, assistir a filmes e ouvir músicas em inglês, diariamente, prestando atenção aos termos e como são usados, claro.

Entenda melhor o tempo necessário para aprender inglês

Voltando ao fato de que são necessárias 1.200 horas para estudar os principais conteúdos do idioma, esse período pode se subdividir em 3 horas semanais (igual a 8 anos) ou 2 horas por dia (menos de 2 anos).

Não há milagre. Não há como aprender sem se dedicar e nem como sair falando inglês fluentemente de uma hora para outra. É preciso se esforçar, se organizar e dar o máximo de si para conquistar seu objetivo.

É interessante mesclar exercícios de escuta, oralidade, escrita e repetição diariamente. Se as aulas não são diárias, recomenda-se que as tarefas e o contato com a língua sejam. Faz bem para o cérebro e agiliza o aprendizado.

Não se sabote

Um dos grandes problemas dos brasileiros ao estudarem um idioma é a exigência da perfeição. Muitos acabam sabotando o seu aprendizado por não conseguirem falar como um nativo ou não terem uma gramática impecável. Dois desejos praticamente impossíveis.

Isso é um grande erro, porque essa exigência exagerada acaba bloqueando exercícios fundamentais no processo de aprendizado: a prática contínua, aquisição de conhecimento a partir dos erros e a busca por alternativas para que sua comunicação tenha sucesso.

A persistência para que se compreenda o que está sendo falado ou fazer com que o interlocutor o entenda é essencial para a evolução dos estudos. Essa imposição exacerbada pela perfeição acaba provocando frustração, desânimo, estresse e angústia, levando, muitas vezes, à desistência.

É preciso aceitar que é possível aprender inglês sem que se atinja a perfeição. Aliás, reconhecer essa possibilidade torna a experiência mais leve, prazerosa e próxima da realidade e da capacidade de alcançar os objetivos.

Povos de diferentes países, que se cobram menos, conseguem se tornar fluentes muito mais rapidamente do que os brasileiros. Eles não se preocupam tanto com o sotaque e focam sua atenção no fato de se comunicarem com êxito.

Dicas para facilitar os estudos

  1. Defina por que deseja estudar o idioma (trabalho, lazer, viagens, estudos);

  2. Estabeleça uma meta, estipulando o nível que deseja alcançar e no que deseja ser melhor (oralidade, compreensão, leitura ou escrita);

  3. Matricule-se em um curso regular ou busque alternativas on-line, chats com nativos ou jogos digitais que permitam praticar o conhecimento;

  4. Leia notícias em inglês, diariamente, ouça músicas (inicialmente, acompanhe com as letras), assista a programas ou filmes, também todos os dias (coloque legendas em inglês e, futuramente, assista a eles sem nenhuma legenda);

  5. Busque parceiros de estudos para conversar em inglês e enviar mensagens também no idioma;

  6. Estude, nem que seja por 10 minutos, todos os dias;

  7. Pratique com persistência a máxima quantidade de exercícios que conseguir;

  8. Tenha um caderno para anotar palavras ou frases que vir ou escutar e busque o significado delas futuramente;

  9. Não pare de estudar mesmo quando alcançar a fluência. Conserve o hábito de se manter em contato com o idioma;

  10. Viaje. Se tiver tempo e dinheiro, invista em viagens que permitam que você pratique os seus estudos in loco, com nativos.

Enfim, estudar inglês requer disciplina, organização, força de vontade e perseverança. É importante nunca se distanciar do idioma, para que o aprendizado seja mais produtivo.

Aprender inglês não é um bicho de sete cabeças, não exige perfeição, mas sim uma certa constância, para que o conhecimento migre para a memória de longa prazo, tornando-se natural o hábito de pensar em inglês. Uma vez atingido esse lugar, dificilmente ele será esquecido.

Você está cansado de ministrar treinamentos e realizar investigações improdutivas para identificar a fluência e o nível de conhecimento em inglês dos seus candidatos? Entre em contato com a Fluenglish para te apresentarmos quais e como são nossos testes e processos. Você nunca mais vai perder tempo com isso!

Sobre o autor

Fluenglish

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter