Carreira

Como fazer um processo de contratação eficiente?

Escrito por Fluenglish

A contratação de profissionais para a empresa é um processo altamente estratégico. Afinal, são os colaboradores que definem o sucesso de uma corporação. Por essas razões, os gestores de RH precisam desenvolver a seleção com uma boa qualidade. Assim minimizam os prejuízos e a rotatividade e promovem a adesão de profissionais compatíveis com as demandas da organização.

Mas como realizar um processo de contratação eficiente? Confira nosso post e saiba mais!

Faça uma boa definição de cargo para desenvolver um processo de contratação eficiente

Uma falha de muitos gestores é ir em busca de profissionais sem definir com precisão o que estão procurando. É necessário desenvolver uma análise do cargo, especificando quais as atribuições da posição e que habilidades são importantes para o profissional desempenhar bem as tarefas.

Com isso, é possível traçar os atributos ideais do candidato. Lembre-se que o perfil ideal serve como uma referência, mas não há um colaborador perfeito. Equilibre a sua exigência com uma perspectiva realista e considerando os vários dados coletados no processo.

Realize uma triagem efetiva

A etapa de triagem de currículos permite que a empresa filtre aqueles candidatos que realmente tenham potencial para entrar na organização. Com uma boa triagem, você minimiza o gasto de tempo e recursos com aqueles que não se adequam aos pré-requisitos.

Caso não encontre pessoas com as qualificações exigidas, é importante rever suas estratégias e conversar com o gestor sobre a vaga.  Às vezes a solução pode ser mudar os locais de divulgação, flexibilizar critérios ou contratar pessoas menos especializadas e apoiá-las no investimento em formação.

Quando conduzir a seleção, lembre-se de convocar um número adequado de profissionais. As etapas iniciais podem apresentar mais participantes, mas para a entrevista, é indicado convocar entre 9 e 10 candidatos.

Avalie vários âmbitos do profissional

Os diplomas, cursos complementares e certificados são fundamentais, por informarem da experiência técnica do candidato. Analise essas habilitações com cuidado e conte com profissionais especializados na avaliação de certas competências, como fluência de inglês e conhecimentos específicos.

Entretanto, procurar profissionais com traços comportamentais adequados às demandas da vaga e à cultura da empresa também é importante. As dinâmicas, entrevistas e provas situacionais podem contribuir muito nesse processo. Elas visibilizam as habilidades sociais e aspectos individuais.

Para conhecer um pouco mais do profissional, lembre-se também de consultar as referências dele, contatando seus antigos gestores. Os comentários certamente vão ajudá-lo na decisão.

Desenvolva uma entrevista de qualidade

As entrevistas de seleção precisam ser desenvolvidas de forma adequada, pois essa é uma das etapas mais cruciais de todo o processo. É nesse momento que o profissional de RH pode conhecer efetivamente o candidato e aprofundar mais nas referências do currículo.

Mas ao desenvolver o processo, evite perguntas clichê. Não é  efetivo realizar questões muito esperadas como “Quais suas três maiores qualidades e os seus três maiores defeitos?” ou “Você gosta dessa empresa?”. O profissional pode não ser tão sincero e lhe dar respostas tão repetitivas quanto a pergunta. Seja mais preciso e estimule a pessoa a se posicionar.

Às vezes, investigar situações do passado no trabalho pode ser uma boa estratégia. A partir do relato do entrevistado, você poderá inferir algumas de suas qualidades e traços de personalidade.

Invista nas provas situacionais

As provas situacionais são simulações do serviço, onde o candidato realiza atividades que desempenhará se for contratado. Essa técnica de avaliação pode trazer muitos benefícios.

Em primeiro lugar, ela consegue mostrar o produto final, demonstrando a qualidade do desempenho da atividade. Além disso, essa prova também mostra a forma com que o profissional trabalha, sua agilidade, eficiência e postura diante das tarefas.

A prova situacional tem sido bastante utilizada pelos setores de RH. Ela complementa as outras técnicas e contribui para que o processo de seleção seja mais certeiro.

Utilize ferramentas de base científica no processo de seleção

Uma das grandes falhas dos profissionais de RH tem sido a realização de dinâmicas e procedimentos sem nenhum respaldo científico. Seja a aplicação mal realizada de testes, correções apressadas ou avaliações com base em critérios superficiais.

Assim a decisão dos gestores passa a ser baseada em julgamentos subjetivos, sem um referencial teórico para apoiar a escolha, o que aumenta a probabilidade de falha. As técnicas precisam de um embasamento teórico para fornecerem informações mais sólidas e confiáveis.

Avalie com a equipe o uso das redes sociais no recrutamento e seleção

O uso de redes sociais no processo de recrutamento e seleção já é uma realidade, mas também é uma questão controversa. Poucos autores da academia produziram materiais que se referem a esse tipo de questão e nas empresas, ainda há dúvidas sobre essa estratégia.

Por isso, discuta com a equipe de RH sobre o uso desse recurso. É importante que se a empresa decidir avaliar o perfil de rede social do candidato no processo de recrutamento e seleção, ela deve fazer isso de forma cuidadosa e ética.

A rede social não é o elemento decisivo, mas sim um complemento. Mais do que observar as opiniões do profissional, é preciso avaliar como ele interage com os colegas de rede.

Estar atento também a ideias de intolerância, homofobia e discriminação racial pode ser uma boa estratégia. A rede social também possibilita conhecer um pouco do estilo de vida do candidato. Mas lembre-se que a ferramenta é só um complemento.

Seja ético

A seleção é um processo de duas vias: a corporação avalia o candidato, mas ela também é avaliada por ele. A ética na contratação é fundamental para manter uma boa imagem da empresa. Alguns exemplos de boas posturas na seleção estão listados abaixo, confira:

  • Marcar as entrevistas com antecedência, informando sua duração;

  • Ser pontual com o candidato;

  • Compartilhar apenas informações necessárias com os gestores e envolvidos no processo;

  • Ter transparência, esclarecendo as dúvidas sobre a vaga, informando as políticas e exigências da organização e mostrando a situação da empresa;

  • Oferecer a entrevista devolutiva. Depois de realizar um investimento, o candidato espera uma resposta, mesmo que seja negativa.

Fazer um processo de contratação eficiente demanda muita competência da equipe de RH e uma boa qualidade no desenvolvimento e aplicação das estratégias. Para que a seleção seja efetiva, é importante, em primeiro lugar, desenvolver uma definição de cargo aprofundada, pois ela vai direcionar todo o processo.

Invista em uma triagem rigorosa e em ferramentas científicas na condução do processo. Aproveite de técnicas como as dinâmicas e provas situacionais para enriquecer a seleção. Considere também utilizar as redes sociais como estratégia complementar.

E então, gostou de saber como fazer um processo de contratação efetivo? Confira também nosso outro post para aprender a avaliar se o candidato possui inglês fluente e aprimore a sua seleção!

Sobre o autor

Fluenglish

2 comentários

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter