Carreira

Como montar uma palestra em inglês?

Escrito por Fluenglish

A evolução natural da carreira de um profissional que atua em médias e grandes empresas pode levá-lo a situações em que seja necessário transmitir os seus conhecimentos a uma grande quantidade de pessoas. Mais do que isso: pode ser preciso falar em outro idioma. E aí vem a pergunta: como montar uma palestra em inglês?

O idioma dominante do mercado é exigência para quem quer se destacar e mostrar o potencial para influenciar outras pessoas. Seja na apresentação de um produto ou de um serviço, na divulgação de um case de sucesso ou em uma premiação do seu setor de atuação, o que importa é ter o inglês na ponta da língua e estar com tudo planejado nos mínimos detalhes para que o sucesso seja garantido.

Nas próximas linhas, você confere o que não pode faltar em uma palestra em inglês. Acompanhe:

O que uma boa palestra precisa ter?

De todos os tipos de palestra que podem existir, o que você não pode deixar que aconteça é o seu público pegar no sono.

Falas enfadonhas, falta de recursos tecnológicos, tom de voz baixo e monocórdico: tudo isso pode levar os seus esforços por água abaixo. Manter um ritmo agradável, usar vários recursos e saber a hora de elevar a voz ou fazer gestos mais bruscos faz toda a diferença.

Veja o que uma boa palestra deve conter:

Objetivo claro e definido

Antes de mais nada, defina qual é o objetivo da sua palestra. Destaque a relevância do tema para o público que vai participar, quais são as principais dúvidas que essas pessoas têm em relação ao assunto e como você pode inovar no conteúdo com pontos de vista diversos.

Pense sobre que tipo de reflexão você quer que essas pessoas desenvolvam, como espera que elas reajam à sua fala, quais são as metas a serem atingidas ao longo do discurso. Transforme esses pontos em marcos e cuide para comunicá-los logo no início da palestra.

Público-alvo conhecido

Antes de montar uma palestra em inglês, você precisa conhecer o público que estará presente. De onde vem, nível de fluência no idioma, faixa etária, assuntos de interesse, que tipo de linguagem utilizam e alguns comportamentos característicos são informações essenciais para desenvolver um bom trabalho.

Uma audiência jovem tem menos paciência para longos discursos. Empresários, CEOs e diretores de empresas são chamados com frequência para resolver assuntos pelo celular, o que pode causar certo burburinho durante a palestra.

Uma linguagem técnica é bem recebida por quem está mergulhado no setor, mas não é apropriada para profissionais iniciantes ou simpatizantes do tema.

Histórias reais

Um dos principais benefícios de montar uma palestra é se conectar emocionalmente com o público. Desde o momento da recepção — que pode ser feita com um coquetel ou coffee break — até a finalização — com um sistema de perguntas e respostas —, você tem a chance de criar vínculos mais fortes, aproximando empresa e público com mais facilidade.

Durante a execução da palestra, você precisa gerar empatia, que é o ato de colocar-se no lugar do outro, gerando identificação. E nada melhor do que usar recursos de storytelling para isso. Dê exemplos, conte experiências suas ou de pessoas próximas a você. Humanize a comunicação identificando pessoas reais, que passaram por situações semelhantes.

Crie cenários imaginários com a sua fala para que as pessoas se reconheçam neles. Enquanto estiver falando, certamente você vai perceber algumas pessoas balançando a cabeça afirmativamente, sorrindo ou achando graça. Esse é o sinal de que você se conectou a elas.

Recursos tecnológicos

Uma palestra baseada apenas na fala pode se tornar maçante para quem está assistindo. Ninguém consegue manter a atenção 100% voltada para o palestrante durante muito tempo. E a neurociência é enfática nisso:

  • aprendemos apenas 10% do que lemos;

  • 20% do que ouvimos;

  • 30% do que vemos;

  • 50% do que vemos e ouvimos;

  • 70% do que falamos;

  • 90% do que falamos e fazemos.

Usar a Pirâmide da Aprendizagem é uma boa maneira de escolher os recursos audiovisuais ao montar uma palestra em inglês, pois você poderá equilibrar texto, voz e imagens para promover uma fala mais dinâmica, que prenda a audiência durante todo o evento.

Use imagens para facilitar a compreensão de dados, vídeos para contar histórias e experiências e textos para destacar pontos importantes do conteúdo. A presença de um data show, de um bom sistema de som e internet é obrigatória.

Comunicação de duas vias

Se a sua palestra suscitar dúvidas, levantar reflexões, gerar questionamentos, você precisa ter uma forma ágil e eficiente de obter o feedback dos participantes. Saia das tradicionais “fichas de perguntas” e use a tecnologia a seu favor: aplicativos de mensagens, redes sociais, hashtags, e-mail, SMS, entre outros recursos podem servir muito bem a esse propósito.

Garanta que o seu público saiba da existência desse canal de comunicação com antecedência para que ele possa ser usado em todo o seu potencial. Já imaginou fazer uma palestra impecável e gerar insatisfação de um participante por não responder a uma pergunta?

Como se preparar para uma palestra em inglês?

A parte do preparo é a mais importante quando você está montando uma palestra em inglês. O planejamento é essencial para que o evento transcorra da maneira que você imagina, sem percalços. Saindo da infraestrutura física, separamos algumas dicas de como você pode se preparar física, emocional e profissionalmente para esse grande momento:

Entenda do assunto

Um bom palestrante é aquele que não precisa ficar lendo fichas ou a apresentação para saber o que falar. Os recursos audiovisuais são um apoio para a sua audiência, não para você. Portanto, é essencial que você mergulhe no assunto sobre o qual vai falar, fazendo pesquisas e reunindo dados que possam corroborar a sua argumentação.

Busque estatísticas, citações de pessoas influentes, artigos científicos e matérias jornalísticas. Prepare-se para as objeções do público, explorando os argumentos que vão contra o que você acredita. Torne-se um especialista no tema que deseja abordar. Dessa maneira, todos os recursos podem falhar que, mesmo assim, a sua palestra será um sucesso.

Dialogue com a sua audiência

Se fosse para colocar uma fala no piloto automático, você poderia enviar um CD, um podcast ou outro formato de conteúdo de áudio para as pessoas que estarão na sua palestra. Mais do que falar sem parar, você precisa dialogar com o público, mostrar empatia, olhar nos olhos das pessoas e perceber o impacto da sua fala.

Aja como o ex-presidente Barack Obama, dando um tom de humor à conversa. Seja leve, provoque o público com tiradas inteligentes, histórias engraçadas. Nada melhor para conquistar a confiança das pessoas do que uma boa dose de humor.

E como conseguir esse nível de descontração? Treinando a sua comunicação. Prepare a sua palestra e treine em frente ao espelho ou convide alguns colegas de trabalho para conferirem a sua performance. Filmar a si mesmo também é uma ótima maneira de detectar os deslizes e aprimorar o seu desempenho.

Impacte o seu público

Sabe aqueles momentos em que uma imagem vale mais do que mil palavras? Ou quando uma pessoa divulga uma informação que parece uma bomba atômica? Silêncio total e plateia cativa.

É isso o que você deve buscar na sua palestra. Dados, informações relevantes, imagens que falem muito por si sós. Steve Jobs gostava muito de usar esse recurso nas suas palestras, anunciando o fim dos tempos e depois trazendo uma solução tecnológica única.

Unindo este recurso ao storytelling, o resultado é um só: sucesso. Histórias que causam impactos permanecem na memória das pessoas por muito mais tempo, servem de exemplo, inspiram e motivam a ação.

Retome conceitos importantes

Você se lembra dos marcos, que mencionamos anteriormente? Eles servem para manter a sua audiência alinhada ao seu pensamento. Enquanto estiver preparando a palestra, marque pontos em que a retomada de conceitos é importante para prosseguir.

Faça pequenos resumos e ajude o público a entrar na sua linha de raciocínio. Use infográficos para tornar a informação mais compreensível e mostre o caminho percorrido até aquele momento. Quem esteve distraído por um motivo ou outro poderá seguir com você sem dificuldades.

Cronometre o tempo, mas não se prenda a ele

Quem nunca esteve em uma apresentação em que o palestrante estava falando sobre determinado assunto e o PowerPoint mudava automaticamente, fazendo-o perder o fio da meada? Cômico para quem está de fora, mas denota falta de preparo do palestrante e deixa o público muito furioso.

Quando o assunto é tempo, o melhor é ficar na medida certa. Durante os ensaios, cronometre a sua fala e jamais utilize apresentações com transição automática. Uma pergunta fora de hora pode colocar tudo a perder e deixar você em uma saia justa.

Tenha sempre um tempo de sobra: 10 minutos no início da palestra para esperar os mais atrasados e 10 minutos no final, para esticar a fala caso seja necessário. Evite situações do tipo “eu tenho mais 30 slides para passar, mas o tempo está curto”. A sua palestra tem que transmitir a mensagem que você deseja no tempo certo.

Prepare materiais de apoio

Não é incomum que os participantes de uma palestra peçam a você a apresentação, as referências dos dados apresentados ou qualquer tipo de material complementar, como um vídeo. Ter esse conteúdo à mão para enviar aos participantes é um plus que, com certeza, vai conquistar o coração de muitos deles.

Atualmente, você pode ter milhares de conteúdos disponíveis na nuvem e compartilhá-los com várias pessoas ao mesmo tempo, poupando recursos e vários e-mails. Caso haja algum material a ser entregue aos participantes momentos antes da palestra, você pode fornecê-lo em CD ou em DVD.

Conheça o local com antecedência

O ensaio final para a sua palestra deve ser no local onde ela será proferida. Faça um reconhecimento da área, verifique onde você estará posicionado, como poderá se movimentar enquanto estiver falando e se é possível interagir com o público durante o evento.

Teste os recursos de vídeo, o áudio, o tom de voz, se os sapatos fazem barulho ao caminhar. Verifique se há ar-condicionado no local e o tipo de roupa com que você se sentirá melhor durante a palestra. Nada pior do que ficar morrendo de calor ou tremendo de frio enquanto interage com a plateia.

Relaxe

Um dia antes a palestra, você pode se sentir ansioso. Pensamentos negativos começam a rondar a cabeça, do tipo “meu inglês não é tão bom assim” ou “não vou dar conta”. A nossa dica é: relaxe.

Se você não deixou para se preparar na última hora, tem tudo pronto, organizado e ensaiado, deixe o dia anterior à palestra para descansar e não pensar em nada. Faça um programa diferente, encontre amigos, tome um drinque, assista a um filme.

Deixe a roupa separada, durma bem, tome um bom café da manhã e evite outros compromissos no mesmo dia. Mantenha-se concentrado, tranquilo e confiante de que a sua palestra será um sucesso.

Por que usar Plain English nas apresentações?

Uma das premissas para montar uma palestra em inglês de sucesso é que todos os participantes compreendam a sua mensagem, consigam ler os materiais textuais e interagir com os demais presentes. Mas como conseguir esse nível de eficácia com pessoas que têm níveis de entendimento do idioma diferenciados?

É aqui que entra o conceito de Plain Language, um método de comunicação que tem como objetivo tornar qualquer conteúdo acessível para o máximo de pessoas possível. Se a sua palestra é em inglês, você deve usar o recurso do Plain English.

Como usar o Plain English

Primeiramente, elimine do seu vocabulário palavras e expressões complexas, jargões técnicos e expressões idiomáticas. O intuito é manter o seu discurso o mais neutro possível, sem pender para o rebuscado nem para o coloquial.

Use frase curtas e simples, que possam ser entendidas por qualquer um, até mesmo a pessoa com conhecimento mínimo de inglês. Quebre os parágrafos em ideias menores e, quando possível, crie listas.

Quando as frases possuem 8 palavras ou menos, o nível de compreensão das pessoas é de 100%. Sentenças entre 9 e 14 palavras permitem a compreensão de 90% do conteúdo. Já frases com 43 palavras ou mais permitem o entendimento de apenas 10% da sua mensagem.

Use subtítulos sempre que possível a fim de orientar as pessoas sobre a leitura que estão realizando. Mantenha a voz ativa ao se comunicar para facilitar a compreensão e estimular a ação.

Alguns conceitos básicos para desenvolver o Plain English:

  • seja direto com a sua audiência;

  • use frases com 15 a 20 palavras, no máximo;

  • prefira palavras usadas no cotidiano das pessoas;

  • mantenha o conteúdo o mais simples possível.

Por que usar

Cada pessoa compreende as informações de uma maneira particular. Sendo em outro idioma, a dificuldade de decodificação da mensagem se torna ainda maior, até mesmo para as pessoas que são fluentes.

Ao utilizar expressões simples, claras, sem ambiguidade, você está socializando a informação com maior equilíbrio e tornando a sua palestra relevante para todos. O uso de frases em inglês curtas facilita o entendimento, e o conteúdo passa a ser de fácil compreensão para toda a sua audiência.

O uso desse método também vai facilitar a sua explanação, pois as frases serão simples, curtas e diretas. Não existirá espaço para esquecimento de palavras, troca na ordem de adjetivos e substantivos e nervosismos sem sentido.

Outra vantagem de adotar o Plain English é a proximidade que ele cria com a plateia. Conduzindo a palestra num tom leve e informal, fica mais fácil até brincar com os seus próprios deslizes, quebrando o gelo.

Vale a pena investir em inglês corporativo?

Em um mundo globalizado, qualquer pessoa está sujeita a ter que se expressar em outro idioma, especialmente o inglês. No universo corporativo, as chances de colocar uma 2ª língua em prática aumentam consideravelmente.

Tanto é que o domínio de inglês pode aumentar o salário de um profissional em até 50%, segundo a empresa Catho. E vamos além: 80% dos diretores de recursos humanos afirmam que ser fluente no idioma é essencial para assumir cargos de destaque nas empresas, de acordo com pesquisa da consultoria Robert Half e Education First.

Ou seja, ascensão profissional depende, sim, de poder se comunicar em outras línguas.

Veja outros motivos para investir no inglês corporativo:

Expansão dos negócios

Toda empresa sonha em internacionalizar os negócios. Chegar lá depende de muitos fatores, e, entre eles, uma equipe preparada para se comunicar em inglês. Antes mesmo de abrir uma filial em outro país, você precisa pesquisar informações sobre mercado, economia, fornecedores, parceiros de negócios e potenciais clientes. Tudo isso em inglês.

Uma empresa que tenha sido adquirida por uma multinacional ou esteja em processo de fusão precisa, imediatamente, de profissionais que saibam falar inglês, que possam escrever e-mails, relatórios, documentos e interpretar contratos em outro idioma.

Mesmo que a sua empresa continue baseada no Brasil, atuando apenas no setor exportador, várias situações exigirão fluência no idioma — como contato com alfândegas, transportadoras internacionais, clientes e agentes governamentais.

Contratação de equipes remotas

Atualmente, os processos de recrutamento e de seleção estão se tornando cada dia mais avançados. Não precisamos ter a pessoa frente a frente com o recrutador, basta fazer uma videoconferência.

O trabalho remoto cresce a passos largos e não existem mais barreiras geográficas para ter o melhor time trabalhando para a empresa. Você pode ter um profissional na Holanda, um no Japão, outro na Austrália e fazer com que eles trabalhem perfeitamente em equipe com os recursos tecnológicos disponíveis.

Mas, para ter sinergia entre essas pessoas, elas precisam falar um idioma comum. E esse idioma é o inglês. É na linguagem que elas trocarão ideias, compartilharão experiências e gerarão conhecimento de valor para a empresa. A tradução pode até vir depois, mas a essência da comunicação será no idioma mais falado do mundo.

Relacionamento com fornecedores

Empresas que atuam com importação de produtos, maquinários e tecnologias também dependem do inglês corporativo para conduzir os negócios. Como você vai fechar um contrato de milhões de reais com um fornecedor sem saber exatamente do que ele está falando?

Sim, é possível contar com tradutores. Mas melhor ainda é poder realizar as suas atividades sem esse auxílio. Você terá condições de argumentar com maior precisão e segurança, poderá negociar valores com facilidade e chegar a acordos que sejam mais rentáveis para a sua empresa.

Você terá a oportunidade de compreender as especificações técnicas de cada produto, fazer perguntas inteligentes e evitar problemas posteriores por compras equivocadas. Ou será que você compraria um lote inteiro de mercadorias sem saber como elas funcionam?

Atendimento ao cliente

Se você está expandindo negócios, é natural que clientes de outras localidades comecem a entrar em contato com a sua empresa. Quem comercializa softwares de gestão, soluções na nuvem ou produtos exclusivos sabe muito bem a importância de manter um suporte de qualidade, que auxilie o consumidor a resolver qualquer entrave.

Mas, para que você possa ajudar os seus clientes e oferecer um atendimento de qualidade, deve encontrar um idioma em comum — o qual, na maioria das vezes, é o inglês. A fluência se torna essencial para que você se comunique com os consumidores e ofereça soluções de forma tranquila, sem deixá-los ainda mais ansiosos por não conseguirem se comunicar com você.

Captação de investidores

Investidores estrangeiros estão sempre de olho em oportunidades de negócios no Brasil, assim como empresários brasileiros estão constantemente buscando investidores para alavancar resultados.

A melhor maneira de unir o útil ao agradável é abordar esses potenciais investidores no idioma que eles melhor compreendem: o inglês. Mesmo os japoneses, espanhóis ou chineses estão habituados a falar em inglês e tratar de negócios nesse idioma.

O que não pode acontecer é isso se tornar um problema para a sua empresa. Por isso, o inglês corporativo é sempre uma boa pedida.

Não há como ignorar: o nosso dia a dia nos coloca em contato com situações nas quais o inglês é imprescindível. Tudo o que você precisa é estar pronto para encarar essas situações com bom humor e confiança, sabendo que, mesmo que o seu inglês não seja perfeito, ele transmite a sua mensagem muito bem.

Nossa dica final é para que você se prepare a partir de hoje para montar uma palestra em inglês e se sair muito bem, ainda que esse desafio não tenha sido colocado à sua frente. Nunca se sabe quando as oportunidades podem surgir.

Gostou deste post? Ficou com dúvidas? Deixe um comentário!

Sobre o autor

Fluenglish

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter