Sem categoria

O que é síndrome de Burnout?

sindrome-burnout
Escrito por Fluenglish

Burnout, em inglês, significa estar chamuscado, queimado, calcinado por um fogo que se alastra como numa floresta. A Síndrome de Burnout ou síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico descrito em 1974 por Freudenberger, um médico americano, a partir de sua própria experiência.

Geralmente o Burnout é caracterizado por um estado de exaustão emocional e física, acompanhado de uma sensação de que nada pode ser feito. O que é tão pungente sobre o Burnout é que ele atinge principalmente as pessoas que estão altamente comprometidas com seu trabalho. No Brasil, 30% dos profissionais apresentam esse grau máximo de pane no sistema, conforme pesquisa da International Stress Management Association (Isma), que avaliou mil pessoas de 20 a 60 anos entre 2013 e 2014. Em 96% dos atingidos sentem-se incapacitados, o que provoca absenteísmo – para realizar exames e licenças médicas – e presenteísmo, quando se está fisicamente no posto, mas com a mente distante.

A principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. A síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso.

 Os sintomas típicos dessa Síndrome são:

  • Sensação de esgotamento físico e emocional que se reflete em atitudes negativas, como ausências no trabalho
  • Agressividade
  • Isolamento
  • Mudanças bruscas de humor
  • Irritabilidade
  • Dificuldade de concentração
  • Lapsos de memória
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Pessimismo
  • Baixa autoestima
  • E outros sintomas físicos como: dor de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, crises de asma, distúrbios gastrintestinais são manifestações físicas que podem estar associadas à síndrome.

A Síndrome de Burnout é mais comum em alguma profissão?

  Anos de estudos demonstraram que Burnout é a síndrome que atinge trabalhadores em diversas profissões. Trata-se de um problema que afeta principalmente os trabalhadores encarregados de cuidar de outros como profissionais da área da educação, saúde, policiais e agentes penitenciários, mulheres que enfrentam dupla jornada entre outros.

 Relação entre Recursos Humanos e Síndrome de Burnout

Quando observado sinais claros da Síndrome de Burnout em algum funcionário é necessário que seja feita uma abordagem direta com o profissional, de modo a informá-lo sobre as percepções que a empresa vem tendo sobre esses sinais. A organização pode, por exemplo, combinar com o profissional que ele tire alguns dias de descanso e possa buscar ajuda médica especializada.

A gerência de Recursos Humanos deve estar atenta, preparada e receptiva a ser informada sobre qualquer questão que interfira na vida profissional dos seus colaboradores. Tudo o que estiver causando algum impacto negativo na rotina de um profissional é algo necessário de ser comunicado ao RH.

Para avaliar se o funcionário realmente está com a síndrome, é necessário fazer alguns exames minuciosos para analisar se os problemas enfrentados estão relacionados ao ambiente de trabalho ou à profissão. Respostas psicométricas a questionário baseado na Escala Likert também ajudam a estabelecer o diagnóstico. Somente um especialista no tema pode, por meio de exames psicológicos, avaliar se é o ambiente profissional que causa o estresse e os outros sintomas mencionados acima.

O tratamento inclui o uso de antidepressivos combinado à terapia, os especialistas aconselham melhorar a qualidade de vida, prevenir o estresse, garantir uma boa saúde física, dormir e alimentar-se bem, praticar atividades físicas, cultivar hobbies e ter uma vida social ativa. Acredito que o ideal para quem esteja se sentindo esgotado é procurar por um especialista no tema para fazer os exames psicológicos necessários.

 Como evitar a Síndrome de Burnout?

Existem diversas práticas que podem ser aplicadas no dia a dia para evitar o esgotamento do trabalho. Confira quais são elas e o motivo pelo qual a realização de cada uma pode ser importante:

  • Trabalhe com um propósito: Uma das casas do esgotamento profissional é a existência de um espaço entre o que a pessoa está fazendo e o que ela realmente quer fazer.
  • Faça uma análise do trabalho e elimine ou delegue um trabalho desnecessário: veja o que pode ser simplificado e delegue outras atividades.
  • Ajude aos outros.
  • Assuma o controle e administre ativamente o seu tempo: saiba separar o trabalho e o lazer e aproveite o tempo fora da empresa.
  • Faça mais exercícios.
  • Aprenda a administrar o stress.
  • Saia da rede: Desligue-se um pouco da internet, mesmo que por apenas 20 minutos — é uma solução rápida. Você pode recarregar as energias ficando um pouco sem tecnologia. Você vai se sentir recarregado, renovado e limpo.

Como as empresas podem ajudar os funcionários?

 As empresas precisam entender que investir em seu capital humano é o melhor caminho. Disponibilizando ferramentas para que os seus colaboradores possam se desenvolver, principalmente no que tange ao controle do estresse.

Por fim, podemos entender que mudanças no estilo de vida podem ser a melhor forma de prevenir ou tratar a Síndrome de Burnout. O uso do tempo de forma adequada entre o trabalho, a vida pessoal, a alimentação saudável, conscientização de que o consumo de álcool e de outras drogas para afastar as crises de ansiedade e depressão não é um bom remédio para resolver o problema.

Não deixe que os sintomas da Síndrome de Burnout tomem conta da sua vida. Há casos em que essa síndrome resulta em depressões profundas e até ideias suicidas. Portanto, se identificar alguns dos sintomas, busque soluções o mais rápido possível, incluindo orientação especializada. Provavelmente significa que é hora de sentar com seu gerente e com o RH e reconhecer que trabalhar mais horas não está nem melhorando sua produtividade pessoal nem ajudando a ser mais feliz.

Esse post foi desenvolvido pela Xerpa, sistema de gestão de Recursos Humanos. Saiba mais!

 

 

Texto escrito por Mayra Silva

 

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter