Carreira

Proficiência em Inglês: você sabe o que isso significa?

Proficiência em Inglês
Escrito por Fluenglish

É fato: o mercado de trabalho está cada vez mais exigente. Dominar um segundo idioma, sobretudo o inglês, é pré-requisito para uma série de processos seletivos. E, para que você possa se destacar em seu emprego atual ou até buscar uma recolocação, é necessário comprovar a sua fluência, ou seja, ter um certificado de proficiência na língua.

Uma certificação profissional é um grande e importante investimento em sua carreira. Com ela, o seu currículo fica mais completo, competitivo e mais forte na batalha por grandes oportunidades. Não basta saber o idioma, é preciso provar que você o domina completamente.

Você pode pensar: “ok, eu tenho consciência da importância de possuir uma certificação de proficiência em inglês, porém nem mesmo sei qual é o meu nível atual n o idioma”. Não tem problema. Neste post, vamos explicar todos os detalhes sobre como obter uma certificação de proficiência em inglês e como ela fará a sua carreira decolar.

curso de inglês te dá uma base de conhecimento do idioma, porém o certificado emitido por ele não o auxilia para se destacar profissionalmente, porque não possui validade oficial ou internacional. Apesar de, muitas escolas, serem reconhecidas pelo Ministério da Educação e da Cultura (MEC), o valor de seus certificados é apenas simbólico.

Nesse contexto, a certificação de proficiência é a chave para o seu sucesso corporativo e acadêmico.

O que é proficiência em inglês?

No dicionário, a palavra proficiência significa competência, capacidade e aptidão. Um indivíduo proficiente é uma pessoa hábil e capaz de demonstrar conhecimento pleno em determinado assunto.

Portanto, a avaliação de língua estrangeira é uma forma de constatar o total conhecimento e a aptidão de uma pessoa em se comunicar com pleno domínio — fluentemente —, seja na compreensão oral, na escrita ou na leitura da língua inglesa.

A certificação de proficiência é uma comprovação do entendimento do idioma estrangeiro. Ela é obtida por meio de testes, realizados por milhões de pessoas de todo o mundo, as quais são motivadas por objetivos profissionais, acadêmicos ou até mesmo por desejarem viver em outro país.

Quando se trata de uma meta corporativa, muitas pessoas buscam a proficiência em inglês para ter melhores chances dentro da empresa em que trabalha ou ir para o mercado com mais competitividade. Com a proficiência, o profissional comprova o seu nível de conhecimento da língua e pode se candidatar a posições internacionais, inclusive.

Outro motivo é que muitos recrutadores utilizam a fluência como um fator de desempate entre dois candidatos igualmente bem preparados, mesmo que não haja utilidade para o uso do idioma no dia a dia do trabalho pretendido. Pode não fazer sentido à primeira vista, mas eles consideram profissionais fluentes, pessoas com mais bagagem e conhecimento de vida.

Já quando o objetivo são os estudos ou pesquisas, muitos discentes e formandos procuram se aprimorar para serem bem-sucedidos na carreira acadêmica. A proficiência é imprescindível para cursar o mestrado e o doutorado, inclusive em universidades brasileiras. Além disso, a certificação é essencial para estudar em universidades de todo o mundo.

Quais são os níveis de proficiência em inglês?

A classificação utilizada pelos cursos de idiomas — básico, intermediário e avançado — não tem, exatamente, relação com os níveis de proficiência em inglês que são baseados na categorização do Quadro ou Marco Comum Europeu. Esse guia considera o ranking padrão internacional, o qual divide o grau de conhecimento da língua em:

  • A1 (iniciante)
  • A2 (básico)
  • B1 (intermediário)
  • B2 (pós-intermediário)
  • C1 (avançado)
  • C2 (proficiente)

Antes de você fazer qualquer avaliação, por mais que tenha se preparado para ela, recomendam-se os pré-testes para saber onde você se classificaria se fizesse a prova naquele momento. Caso a sua classificação fique abaixo do B2, em pouco ou nada um certificado de proficiência vai te auxiliar.

Apesar de muitas universidades estrangeiras considerarem o nível B1 suficiente, as aulas já são tão complexas mesmo para quem apresenta um nível perfeito de entendimento do inglês, imagina para quem não domina o idioma.

Profissionalmente falando, abaixo do B2 também não parece ser um grande trunfo para agregar ao seu currículo. Mas não desanime! Saber qual é o seu nível de proficiência também é importante para você aprimorar os seus estudos e sempre melhorar os seus resultados.

Após realizar a avaliação, o resultado tem validade por dois anos e é utilizado como documento válido para participação em seleções profissionais e acadêmicas.

Como funciona um teste de proficiência em inglês?

Os testes de proficiência em inglês são aplicados por instituições e centros autorizados em muitos países. No Brasil, eles são realizados na maioria dos estados, em dias e horários que variam de uma organização para outra.

Nenhum teste exige a conclusão prévia de um curso específico, eles apenas avaliam os resultados conquistados durante a avaliação. Por isso, a forma de estudo é opcional — pode ser feita por conta própria, online, com professor particular, em curso preparatório ou em escola de idiomas.

Em sua maioria, as provas avaliam quatro habilidades do candidato: leitura, escrita, expressão oral e compreensão auditiva. Elas levam em conta a gramática, claro.

O peso dado a cada uma das etapas, varia conforme o órgão responsável pela elaboração da prova. A pontuação mínima necessária também depende do nível que você quer comprovar ou da exigência da empresa, da instituição de ensino e do país para o qual você busca uma oportunidade.

Geralmente, todas as etapas da avaliação são realizadas no mesmo dia e, para a conclusão de cada uma delas, são disponibilizados, em média, 40 minutos (mas o tempo também pode variar de uma prova para outra).

A quantidade de questões também não é fixa entre os testes, mas o objetivo sempre é comprovar que o estrangeiro é capaz de se comunicar fluentemente na língua. É fundamental também conferir qual é a certificação aceita e qual é o nível necessário para se inscrever à vagas na empresa ou universidade que você almeja.

Por isso, é importante ter estudado o idioma por alguns anos e treinar, especificamente, para a certificação escolhida que chancelará a sua proficiência.

Para que serve a proficiência em inglês?

A proficiência em inglês tem muitas funções, mas a principal serventia dela é comprovar o seu grau de conhecimento e fluência na língua britânica.

Ela serve para você saber em que nível se encontra atualmente, para dar um upgrade no currículo e para se candidatar a vagas de emprego em outros países. Também são importantes para selar de forma bem-sucedida os anos de estudo de uma língua estrangeira ou prestar provas de mestrado e doutorado (mesmo no Brasil).

Além disso, possibilitam que a pessoa certificada dê aulas, tente uma vaga em uma universidade estrangeira, seja para cursos de graduação ou pós-graduação (mestrado, doutorado, MBA ou cursos lato sensu) e até mesmo consiga o visto de residência em determinados países.

No enfoque profissional, a certificação é muito bem vista tanto por empresas nacionais quanto pelas internacionais. E é, certamente, um fator decisivo e de seleção natural entre profissionais com formação, experiência e desempenho semelhantes, porque os bem avaliados nos testes são considerados mais bem preparados.

Os exames de proficiência mais aceitos por empresas são o Certificate of Proficiency in English (CPE), Test of English for International Communication (TOEIC), First Cambridge English (FCE) e o Cambridge English: Business (BEC).

Já para estudantes universitários, os mais procurados são o Test of English as a Foreign Language (TOEFL) — teste de inglês como língua estrangeira, em tradução livre — e o International English Language Testing System (IELTS) — sistema internacional de teste de língua inglesa, em tradução livre.

Quais são os principais testes de proficiência em inglês?

Entre os testes de proficiência em inglês mais importantes para quem busca ascensão profissional estão:

Certificate of Proficiency in English (CPE)

Desenvolvido pela Cambridge English for Speakers of Other Languages (ESOL) — inglês para falantes de outros idiomas, em tradução livre —, na Inglaterra, o CPE é um exame que além de ser usado para fins acadêmicos, também é requisitado na área profissional.

É considerado o certificado mais avançado oferecido pela Universidade de Cambridge e um dos trunfos em processos seletivos no Brasil e no exterior. Hewlett-Packard (HP), KPMG, Sony e Coca-Cola são algumas das empresas que pedem o CPE.

Atualmente, o formato da prova contém quatro tarefas distintas: leitura e uso do inglês (realizada em 90 minutos), escrita (90 minutos), compreensão auditiva (40 minutos) e conversação (16 minutos). São aprovados os candidatos que acertarem, pelo menos, 60% das questões.

Há mais de 60 unidades de escolas no Brasil (e 2700 ao redor do planeta) que estão credenciadas para aplicar o CPE. O certificado do CPE não tem prazo de validade, porém algumas instituições podem pedir um teste mais recente.

O valor da inscrição varia entre 450 e 550 reais.

First Cambridge English (FCE)

É um exame de nível intermediário superior (B2) que avalia a real capacidade do candidato em interagir de forma confiante em diferentes situações do dia a dia, tanto no ambiente universitário quanto no corporativo.

Uma das provas mais respeitadas que avalia a habilidade linguística do inglês, o FCE também é reconhecido na Grã-Bretanha e em muitos outros países, nas áreas comercial, industrial e educacional.

O FCE é oferecido em duas opções: for adults learners (para alunos adultos) e for schools (para escolas). Ambas as versões avaliam o mesmo nível de inglês e os exames também têm o mesmo formato, com quarto artigos cada.

A única diferença dessas opções é que a for schools é personalizada para crianças em idade escolar.

Test of English for International Communication (TOEIC)

O exame foi criado pela Educational Testing Service (ETS), o maior centro educacional privado do mundo, também responsável pelo teste TOEFL. Possui grande reconhecimento mundial, sendo realizado todos os anos por mais de 5 milhões de pessoas.

O TOEIC é muito importante para quem busca melhores posições profissionais. Testa a capacidade de compreensão e o conhecimento para ler e ouvir mensagens em inglês. Sempre considera situações reais do mundo corporativo, tais como ligações telefônicas, viagens e reuniões.

Atualmente, muitas multinacionais e grandes conglomerados usam o TOEIC para avaliar o progresso do inglês dos seus colaboradores estrangeiros.

O teste é composto por 200 questões que se dividem em compreensão auditiva (100 questões) e leitura (100 questões). A nota final pode variar de 10 (mais básico) a 990 (mais avançado). Os cargos mais elevados e estratégicos chegam a exigir uma nota superior a 890.

O investimento para prestar o exame gira em torno de 420 reais.

Cambridge English Business (BEC)

O BEC avalia a habilidade de utilização do inglês no ambiente corporativo e é oferecido em três níveis.

  • Preliminary (B1): chancela que a pessoa possui um bom inglês, porém está caminhando para níveis ainda mais importantes;
  • Vantage (B2): podemos dizer que é um nível intermediário. Essa certificação comprova que o profissional já tem conhecimento suficiente para trabalhar na área de negócios internacionais;
  • Higher (C1): esse nível é o mais avançado. Comprova que há compreensão completa do idioma e permite a participação total em negócios discutidos em inglês.

Business Language Testing Service (BULATS)

Uma opção muito procurada para avaliação profissional é o BULATS. Ele consiste em um conjunto de testes muito requisitado por empresas que realizam recrutamentos e desejam analisar o desempenho linguístico de seus colaboradores e trainees.

Ele está disponível em três módulos:

  • Standard (compreensão auditiva, leitura e conhecimento linguístico): a duração é de uma hora e a pontuação varia de 0 a 100;
  • Speaking (expressão oral): dura 15 minutos e a pontuação também varia de 0 a 100.
  • Writing (escrita): nesse módulo, o teste leva 45 minutos. Assim como os anteriores, a pontuação varia de 0 a 100.

Os resultados são divulgados em, aproximadamente, 10 dias úteis após a realização do teste.

MICHIGAN

Diversas escolas de idiomas aplicam as provas de proficiência de Michigan, as quais têm finalidades profissionais. Os testes para comprovar os níveis intermediário (ECCE) e avançado (ECPE) são diferentes e acontecem em meses distintos: maio para o intermediário e novembro para o avançado.

A prova é dividida em duas partes. A primeira é de múltipla escolha e contém questões de gramática e de vocabulário. Já a segunda inclui questões de interpretação de texto, compreensão oral, vocabulário, redação e teste oral.

O valor do exame gira em torno de 250 reais.

Graduate Management Admission Test (GMAT)

Administrado pelo Graduate Management Admission Council, o exame é realizado em, aproximadamente, 110 países.

A proficiência desse exame é uma ferramenta importante para ingressar em cursos de MBA nos Estados Unidos e na Europa. Ele mede os conhecimentos em áreas como matemática, redação analítica e fluência verbal.

O GMAT também é válido para alguns másters em finanças, políticas públicas e relações internacionais e, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, ele não testa conhecimento específicos de negócios. O GMAT busca a “inteligência mental”, a habilidade e a capacidade para tomada de decisões sob pressão de tempo.

O investimento para a realização da avaliação gira em torno de 800 reais.

Fluenglish

A avaliação da Fluenglish é desenvolvida por professores nativos, visando medir o conhecimento do candidato em sua área de atuação. É recomendada para profissionais que precisam comprovar que são bilíngues em suas atividades ou que queiram se destacar por possuir esse diferencial.

Testa, online, todos os aspectos da língua: conversação, compreensão auditiva, leitura e interpretação e conhecimentos de gramática.

Pode ser contratada tanto pelos próprios profissionais, como por empresas que desejam testar ou comprovar os conhecimentos de seus colaboradores. Tem preço extremamente competitivo e o resultado sai em pouco tempo após a realização da prova.

Já os principais testes exigidos para o meio acadêmico são:

Test of English as a Foreign Language (TOEFL)

Esse é um dos testes de proficiência mais famosos do Brasil e do mundo. Ele foi desenvolvido, em 1964, pela ETS, uma instituição norte-americana sem fins lucrativos, focada em testes educacionais.

Desde a sua criação, já foi aplicado mais de 20 milhões de vezes. É aceito em instituições dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, além de mais de 110 países para a emissão do visto.

As provas são realizadas entre duas a três vezes ao mês, em instituições credenciadas. Os testes avaliam compreensão de texto (de 60 a 100 minutos), compreensão auditiva (entre 60 e 90 minutos), exame oral (20 minutos) e exame escrito (50 minutos).

Cada etapa vale 30 pontos, sendo 120 a nota máxima possível. É importante observar que a nota mínima exigida varia de acordo com a instituição.

A avaliação custa, aproximadamente, 700 reais.

International English Language Testing System (IELTS)

Existe há quase 30 anos e é um dos testes mais difundidos ao redor do mundo. Tem como objetivo testar o nível de comunicação em inglês de um candidato por meio de quatro habilidades linguísticas com contexto real: interpretação oral (30 minutos), interpretação de texto (60 minutos), redação (60 minutos) e conversação (15 minutos).

Desenvolvido pelo British Council em parceria com a Universidade de Cambridge, é aplicado em 16 cidades do Brasil.

A pontuação vai de 0 (mais básico) até 9 (mais avançado). O score exigido pelas universidades varia bastante. Contudo, há relatos de que as instituições renomadas exigem nota superior a 8.

É importante dizer também que o IELTS é aplicado em dois formatos: academic e o general training. O academic é voltado para aquelas pessoas que buscam oportunidades para cursar mestrado, doutorado e pós-doutorado no exterior. Já o general training é focado naqueles que buscam aperfeiçoamento profissional.

Assim como o CPE, o IELTS não tem validade. Entretanto, há empresas e instituições que aceitam, exclusivamente, exames realizados em até dois anos antes da seleção.

O investimento é a partir de 440 reais e os resultados são divulgados 13 dias após a realização da prova escrita. Os resultados online podem ser obtidos no site do British Council.

Como estudar para uma avaliação desse tipo?

Estudar para esse tipo de teste requer disciplina, foco, dedicação e preparação especial. Assim como um estudante se capacita para o vestibular, o candidato deve treinar para se sair bem na prova de proficiência. Isso significa dedicar um tempo exclusivo para os estudos e fazer uma verdadeira imersão na língua inglesa.

Cada teste de proficiência, claro, exige uma preparação diferenciada, devido às suas particularidades.

Entre as atividades recomendadas para quem deseja estudar por conta própria estão: refazer as questões de provas anteriores, ler bastante textos em inglês, treinar cada uma das habilidades testadas.

Além disso, o aspirante à certificação deve se preparar, inclusive, para concluir cada uma das etapas no período estipulado, ou seja, treinar para realizar as provas nos tempos limites predeterminados. É importante também aprofundar os estudos, indo além do vocabulário específico da sua área.

Também é fundamental preparar-se levando em consideração vários aspectos da língua inglesa aplicados na análise textual: morfológico (tempos verbais, verbos frasais, conjunções, advérbios, preposições, adjetivos etc.) e sintático (sujeito, predicado, complementos, verbos).

E é preciso dominar a leitura e a interpretação de texto. Nesse caso, fazer um curso de inglês instrumental especializado em testes de proficiência o ajudará a dominar técnicas como a de realizar a leitura rápida e a de interpretação de palavras-chave (conhecidas como scanning e skimming).

Outra dica é estudar com professores especializados que conheçam a fundo as exigências avaliadas no exame que você quer prestar.

Vale a pena fazer um teste de proficiência em inglês gratuito?

Há várias opções de testes gratuitos de proficiência em inglês. Eles são ótimas opções enquanto pré-testes para você verificar se já está preparado para realizar uma avaliação real, com certificação.

Pensar em um teste gratuito como documento oficial para comprovar a sua fluência no idioma não surtirá o efeito desejado, pois tal qual acontece com os certificados emitidos por escolas de idiomas, os diplomas de testes gratuitos de proficiência não são válidos e nem aceitos na maioria das empresas e instituições de ensino.

Nesse caso, pesquise uma organização certificadora renomada que oferece diploma amplamente aceito dentro do seu objetivo.

Conquistar um certificado de proficiência é o início de uma nova etapa em sua carreira. Com ele, você poderá buscar posições em empresas multinacionais, candidatar-se a vagas internacionais e até alçar cargos mais altos na empresa em que já atua.

Além disso, certificações de proficiência em inglês permitem que você estude MBAs e outros cursos de pós-graduação no exterior.

Gostou do nosso completíssimo artigo sobre proficiência em inglês? Que tal assinar a nossa newsletter e receber outros conteúdos exclusivos sobre o tema?

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter