Sem categoria

Tudo que você precisa saber sobre teste de proficiência em inglês

proficiencia-em-ingles
Escrito por Fluenglish

O inglês tem, atualmente, posição de destaque e é a língua mais utilizada no mundo dos negócios. Assim, dominá-lo é, cada vez mais, essencial. Por isso, os certificados de proficiência no idioma são, sem dúvidas, extremamente necessários: são eles que validam o conhecimento de uma pessoa.

Isso acontece porque os certificados emitidos por instituições internacionais são isentos e confirmam as habilidades do participante de se comunicar na língua estrangeira — no caso, o inglês — em graus específicos. Submeter-se a um teste desses requer planejamento: do curso de inglês ao exame escolhido.

Qualquer pessoa pode se submeter a um teste de proficiência em inglês caso queira validar seu conhecimento na língua inglesa. O site Cambridge English oferece testes de inglês online gratuitamente para quem quiser avaliar os próprios conhecimentos.

Os exames oficiais são pagos e o preço, embora um pouco alto — entre R$ 600 e R$ 800, aproximadamente —, pode representar um bom custo-benefício para quem obtém o certificado. Afinal, trata-se de um investimento que dá prestígio, credibilidade e diferencial a quem o tem.

Uma avaliação global classificou o Brasil em 41º lugar (de 70 países participantes), o que coloca o país no nível de baixa proficiência. Os testes avaliam o inglês internacional — embora haja particularidades em termos de gírias, sotaque e pronúncia. O candidato precisa ter segurança no conhecimento técnico, na interpretação de texto e na expressão oral.

Ter um certificado de proficiência em inglês é, então, um passo importante em direção a uma carreira que exija fluência no idioma. É um diferencial bacana que atesta suas habilidades de comunicação na língua internacional dos negócios.

Neste post, você vai entender melhor como o processo para obtê-lo funciona. Boa leitura!

Afinal, por que fazer teste de proficiência em inglês?

Falar inglês é, já há algum tempo, uma necessidade. Muitos processos seletivos exigem conhecimento do idioma — e, em geral, em nível superior ao intermediário. De exames escolares, como Enem e vestibulares em geral, a vagas de emprego: a língua inglesa já se provou essencial para o dia a dia.

Nem sempre a qualidade do que se aprende é comprovada por um diploma — de qualquer curso, mas especialmente de idiomas. Para evitar que isso se torne uma dificuldade, universidades e empresas optam por exigir certificados de proficiência.

Eles ajudam o candidato a provar que domina o idioma. Assim, ter um certificado desses funciona como instrumento de diferenciação que ajuda, entre outras coisas, a alavancar a carreira. Se a formação e a experiência profissionais contam muito, a fluência em inglês ajuda a reconhecer os candidatos mais bem preparados.

Conheça a importância do certificado

É comum que, ao final de um curso de inglês, o estudante receba um certificado. Esses diplomas, porém, não têm valor perante o Ministério da Educação (MEC). Para que a proficiência em inglês seja atestada, portanto, é importante obter uma certificação profissional — e que seja reconhecida pelo mercado.

Um certificado desses comprova o nível de conhecimento e desenvoltura do candidato na língua inglesa. Além de ser solicitado por grandes universidades e empresas de todo o mundo, já é pedido por diversas companhias no Brasil. Então, já é recorrente que o certificado de proficiência represente um diferencial nesses cenários.

Muitas escolas de inglês no Brasil têm procurado oferecer aos alunos a oportunidade de fazer um desses exames — que são compatíveis com diferentes níveis de conhecimento e fluência no idioma. Isso ajuda tanto os alunos, que testam seus conhecimentos, quanto a escola, que prova que seu método de ensino funciona.

Essa, aliás, pode ser uma boa forma de escolher a melhor escola de idiomas para aprender inglês. Como o certificado de conclusão não tem valor, é importante ficar atento se ela prepara para alguma certificação internacional. E vale, ainda, saber se esse certificado é bem aceito ou se é um daqueles que ninguém conhece.

A garantia de compreensão

Quando empresas e instituições de ensino exigem um certificado de proficiência, estão buscando a garantia de que o candidato domina o idioma para escrita, leitura e comunicação oral com colegas de trabalho e clientes. Como há opções para diferentes níveis e finalidades, é preciso escolher a mais adequada.

A escolha do exame deve estar alinhada com o objetivo de quem vai se submeter a ele, pois não existe um teste que sirva para todos os casos. É preciso considerar o nível de conhecimento da língua inglesa, a universidade ou empresa desejada e qual o período para a candidatura aos processos seletivos.

Testes de diagnóstico, como o International English Language Testing System (IELTS) e o Test of English as a Foreign Language (TOEFL), têm normalmente validade de dois anos. Em alguns casos, é melhor optar por exames que não percam a validade, como os da Cambridge English, para ter mais flexibilidade e oportunidades.

Escolher o exame adequado é, ainda, uma forma de ficar mais tranquilo para a prova. Se a opção for compatível com o nível de conhecimento e o candidato estiver familiarizado com o estilo do teste, o tempo disponível para cada habilidade e a forma como os enunciados são redigidos, há grandes chances de sucesso.

Quais as vantagens em ter um teste de proficiência para a carreira?

Por ser a língua oficial do mundo dos negócios, ter fluência no inglês corporativo já é um requisito básico para muitas das posições disponíveis no mercado de trabalho. Por esse motivo, ter um certificado de proficiência pode ser um diferencial. Vale lembrar, porém, que ele não dispensa a avaliação do recrutador.

Esses testes trazem, em geral, exercícios e situações similares aos ocorridos no mundo corporativo — para medir as habilidades do candidato. Profissionais com fluência em inglês, além de ganhar destaque no mercado de trabalho, acabam oferecendo outros benefícios para a organização. Conheça alguns deles a seguir!

Contatos profissionais

Colaboradores que falam inglês têm mais chances de se conectar a colegas de todo o mundo. Além de falar o idioma, é importante desenvolver as habilidades de leitura e escrita em inglês para poder produzir relatórios e se comunicar por meio de e-mails e outros aplicativos de mensagem.

A língua da tecnologia

Com a tecnologia invadindo todas as brechas do dia a dia, é impossível trabalhar sem ela. É comum que computadores, smartphones, aplicativos, softwares e outras ferramentas usem o inglês como base. E quem trabalha na área técnica, precisa conhecer os termos especiais para consertar ou programar dispositivos.

Expansão de negócios

Quando os profissionais falam inglês para negócios, têm mais possibilidades de fechar parcerias internacionais. Com a globalização, essa habilidade é cada vez mais importante — e isso reflete na busca das companhias por especialistas com conhecimento em inglês técnico.

Quais os principais testes de inglês?

Existem testes de inglês para todos os gostos — dependendo do objetivo e dos benefícios procurados. Independente do teste escolhido e do objetivo ao fazê-lo, é essencial que o candidato tenha certeza de que está preparado para ele.

As provas são geralmente produzidas por instituições sem fins lucrativos e aplicadas em centros autorizados em cada país. As inscrições, as datas disponíveis para os exames e os preços atualizados podem ser obtidos diretamente nesses centros. Separamos aqui os testes mais comuns. Saiba quais são eles!

Corporativos

Test of English for International Communication (TOEIC)

TOEIC é o Teste de Inglês para Comunicação Internacional. Ele mede a habilidade de comunicação em inglês, principalmente em ambientes de negócios. Bastante reconhecido internacionalmente, é feito anualmente por mais de 5 milhões de pessoas.

A versão de compreensão auditiva e leitura é a mais aplicada. Dura 2h e tem 200 questões — 100 perguntas de compreensão auditiva e 100 de leitura — divididas em sete seções. A pontuação máxima atinge 990 pontos e o teste tem validade de 2 anos. Mais de 5 mil instituições o reconhecem como certificado de proficiência.

Examination for the Certificate of Proficiency in English (ECPE)

O Exame para o Certificado de Proficiência em Inglês é um teste avançado que avalia a proficiência na língua inglesa. Ele demonstra as habilidades do candidato em relação aos conteúdos usados nos ambientes universitário e profissional. São quatro seções, que devem ser completadas em 3h. Confira:

  • compreensão oral (de 35 a 40 minutos): tem três seções com 50 questões de múltipla escolha;
  • gramática, uso do inglês, vocabulário e leitura (75 minutos): são 120 questões divididas em 40 de gramática, uma passagem de uso do inglês com 20 lacunas, 40 de vocabulário e quatro pequenas passagens com cinco questões cada;
  • escrita (30 minutos): é preciso escrever um pequeno texto, escolhendo entre dois tópicos;
  • expressão oral (25 a 35 minutos): entrevista com o examinador.

Certificação Fluenglish

Com validade de seis meses, a Certificação Fluenglish avalia gramática, leitura e interpretação de texto, audição e compreensão, e conversação.

No teste, o candidato é avaliado em todas as dimensões que compõem o idioma: gramática e extensão do vocabulário (15 questões), interpretação de textos atuais e dinâmicos (5 questões), compreensão de um vídeo de até cinco minutos sobre situações cotidianas (5 questões) e conversação, de 15 a 30 minutos, com um professor americano nativo via Skype.

O resultado sai em até dois dias úteis. Depois disso, as informações sobre o desempenho do candidato ficam disponíveis diretamente no site da Fluenglish e podem ser compartilhadas com potenciais empregadores.

Acadêmicos

Test of English as a Foreign Language (TOEFL)

O Teste de Inglês como Língua Estrangeira, também conhecido como TOEFL, avalia o potencial individual de falar e entender inglês acadêmico. A versão mais usada é a Internet-Based Test (IBT), que é feita em um computador, dura 3h e avalia expressão oral, compreensão oral, escrita e leitura.

A pontuação vai de 0 a 120 (cada seção vale 30 pontos) e o teste tem validade de dois anos. É aceito em mais de 2400 faculdades e universidades americanas e canadenses, bem como programas educacionais de órgãos governamentais e de bolsa de estudos. Tem quatro seções:

  • expressão oral (20 minutos): começa com duas questões que exigem a leitura e compreensão oral para responder e comentar;
  • compreensão oral (1h a 1h30): cerca de seis passagens longas com questões do tipo múltipla escolha;
  • leitura (de 1h a 1h20): de três a cinco passagens, com questões no formato de múltipla escolha;
  • escrita (50 minutos): inclui escritas de suporte de opinião, comentário sobre preferências e comparação e contraste entre dois assuntos.

International English Language Testing System (IELTS)

Criado pela Universidade de Cambridge e administrado pelo British Council, o IELTS tem duas versões: acadêmica e treinamento geral (mais voltado para o trabalho). A acadêmica é a mais comum, pois atende quem quer estudar em instituições de nível superior ou trabalhar em países que têm o Inglês como primeira língua.

Assim como o TOEFL, o IELTS tem quatro seções: expressão oral, compreensão oral, escrita e leitura. Compreensão oral, escrita e leitura duram 2h45 e expressão oral toma cerca de 15 minutos. Com pontuação de 1 a 9, o IELTS tem validade de dois anos. O exame testa:

  • expressão oral (15 minutos): dividido em tópicos gerais, que são preparados e discutidos antes;
  • compreensão oral (45 minutos): o candidato ouve as questões e escreve o que ouviu;
  • leitura (1h): composto por três passagens com questões de múltipla escolha, completar a frase, combinar as frases e interpretar resumo de parágrafos;
  • escrita (1h): inclui escritas de suporte de opinião, comentário sobre preferências e comparação e contraste entre dois assuntos.

Ensino do idioma

Cambridge

Não tem foco profissional nem acadêmico: em geral, quem procura as certificações de Cambridge são especialistas no ensino do idioma. A vantagem desses testes é a validade vitalícia. É dividido em três níveis:

  • Cambridge English: First (FCE): demonstra que o candidato pode usar o inglês no dia a dia em nível um pouco superior ao intermediário, tanto para propostas acadêmicas quanto de trabalho;
  • Cambridge English: Advanced (CAE): para quem tem condições de usar o inglês em alto nível tanto para trabalho quanto em situações acadêmicas;
  • Cambridge English: Proficiency (CPE): indivíduos que atingiram fluência completa no idioma podem encarar este teste.

No CPE, a pontuação vai de 0 a 230 e, para conseguir a certificação, é preciso obter 200 pontos. O exame tem cinco seções:

  • expressão oral (19 minutos): é feito em dupla (dois candidatos) e pontuado por um examinador;
  • compreensão oral (40 minutos): tem questões sobre diversos assuntos em forma de conversas, apresentações, palestras e discussões;
  • leitura (40 minutos): o candidato precisa ler e interpretar textos de jornal, artigos, histórias fictícias, livros, propagandas e outros;
  • escrita (2h): requer dois tipos diferentes de escrita que podem ser carta, redação ou pequenas histórias;
  • uso do inglês (1h30): oferece lacunas para serem completadas para que o candidato demonstre que sabe usar o idioma.

Quais são as etapas dos testes?

Os testes de proficiência avaliam as habilidades de compreensão oral (listening), leitura (reading), escrita (writing) e expressão oral (speaking). Todas elas são feitas no mesmo dia, com tempo específico para cada uma. Saiba mais a seguir.

Compreensão oral

Praticar a audição é essencial para quem quer falar inglês bem. Os áudios dos exames trazem simulações de situações distintas do cotidiano. A compreensão oral é, em geral, mais rápida que a leitura e composta por questões que envolvem imagens, diálogos curtos e outras discussões.

Os áudios apresentam diferentes níveis de dificuldade, de diálogos mais lentos e com palavras mais básicas a conversas mais rápidas e usando vocabulário mais complexo. Uma boa forma de treinar é ouvir música procurando aprender a letra e ver séries e filmes com o áudio original e legenda em inglês.

Leitura

Durante a aprendizagem do idioma, a leitura, em conjunto com a compreensão oral, é essencial para desenvolver as outras habilidades. A escrita, por exemplo, só ocorre se há competência na leitura. E uma boa escrita só é possível se houver boa capacidade de interpretação de texto.

Os exames normalmente trazem textos que tratam de diferentes assuntos e são, em geral, pequenos ou médios e seguidos de questões para avaliar a capacidade de interpretação. Algumas questões podem, ainda, analisar o conhecimento gramatical.

Escrita

Na escrita, o candidato pode demonstrar seu conhecimento sobre qualquer assunto. A duração dessa seção inclui o tempo necessário para a compreensão do que foi pedido. As questões podem incluir a descrição de figuras, a produção de textos de opinião ou mesmo de um pequeno artigo com base em algum tema cotidiano.

Por isso, praticar o writing requer ler, escrever e estudar gramática. É importante estar bem preparado porque o exame avalia estruturas frasais, coesão, coerência, domínio do vocabulário e gramática.

Expressão oral

Normalmente, é a seção mais curta do exame. Durante o teste são avaliadas pronúncia, vocabulário, gramática e fluência. O candidato deve falar de maneira clara e estruturada sobre temas do cotidiano e sobre si mesmo. Praticar a fala é um grande desafio, que requer a participação de outros indivíduos.

Como estudar para o teste?

Estudar inglês e se dedicar à prática do idioma são fundamentais. Só isso vai garantir que o candidato esteja realmente preparado para tirar uma nota incrível no exame. Como, porém, estudar da forma correta? Veja, a seguir, algumas dicas para fazer isso de adequadamente.

Observe o tempo

Os exames de proficiência têm duração limitada. Para se acostumar a esse aspecto da prova, uma boa ideia é cronometrar o tempo necessário para resolver questões mais complexas.

Pratique com testes anteriores

A resolução de exercícios de provas anteriores é uma prática interessante para compreender o estilo do exame.

Conheça a gramática

Conhecer tempos verbais (e quando usá-los), preposições e verbos modais é essencial. Vale a pena exercitar seu uso.

Pratique a compreensão oral

Exercitar a compreensão oral é fundamental para entender os diálogos apresentados. Por isso, é muito importante exercitar-se continuamente de forma a absorver a rapidez da linguagem e os sotaques.

Exercite a expressão oral

Simular o encontro com o avaliador em frente ao espelho é uma das principais estratégias para esse treino. Com isso, o candidato ganha jogo de cintura e aprende a controlar o nervosismo.

Existem técnicas para passar na prova?

Mesmo quem domina o idioma pode sentir insegurança na hora da prova, principalmente se ela for decisiva para algum processo seletivo. Existem algumas técnicas que podem ajudar o candidato a se preparar melhor. Confira, a seguir, dicas para passar no teste!

Tenha interesse pelo exame

Tudo fica mais fácil quando o candidato gosta do que está estudando: isso faz que ele tenha a sensação de que aprende mais facilmente. O interesse surge quando a relação entre aprender o idioma e a satisfação de uma necessidade fica mais clara. É o caso, por exemplo, de conquistar uma vaga de emprego dos sonhos.

Resolva provas anteriores

As provas anteriores ajudam a ter clara a estrutura da prova, os temas mais recorrentes (especialmente em exames voltados ao mundo dos negócios, que tratam de assuntos específicos) e os critérios de aprovação. Essas provas antigas devem, então, ser o ponto de partida.

Dê atenção aos pontos fracos

Depois de se familiarizar com o exame, é preciso descobrir seus pontos fracos — isso fica claro quando se resolvem provas antigas. Esses itens devem compor a lista de prioridades.

Monte uma caixa de ferramentas

É ela que vai conter todo o seu material de apoio. É importante que ela esteja sempre em toda parte: assim, os encontros serão inevitáveis. Ela deve ter:

  • textos impressos: provas antigas e outros materiais de apoio para estudo e revisão;
  • caderno: pequeno e simples, para anotar informações importantes, como palavras, termos técnicos e resumo de regras gramaticais;
  • dicionário: de preferência um que tenha exemplos de tradução contextualizada, que será bem útil para termos técnicos;
  • post-its: para anotar palavras difíceis e passar o dia todo olhando para elas, por exemplo;
  • gramática: estudá-la ajuda a alcançar mais rápido um nível avançado de fluência.

Não saia do caminho

O aprendizado do idioma requer frequência, mas não necessariamente quantidade. Assim, hábitos diários de revisão são mais efetivos do que horas seguidas dedicadas a um único tema. Preparar-se para uma prova dessas não exige horas contínuas e excessivas de estudo, mas requer tempo de preparação e dedicação.

Você deve ter percebido que ter um certificado de proficiência em inglês tem se provado extremamente útil, especialmente no mundo corporativo. É ele, afinal, que garante que alguém está preparado para interagir de forma fluente no idioma mais popular do universo dos negócios.

Portanto, é essencial que o candidato se prepare para o exame para conseguir um bom resultado. As diferentes etapas do teste requerem habilidades distintas e conhecê-las pode fazer toda a diferença nesse processo. Para isso, uma das melhores técnicas é estudar pelas provas anteriores para se familiarizar com a estrutura.

Além disso, vale a pena ter em mente que é preciso dar mais atenção aos pontos fracos a fim de superá-los. Com dedicação, preparo e calma, em breve você terá seu certificado de proficiência voltado ao mercado corporativo em mãos e poderá usá-lo como diferencial competitivo.

E então, você já está se preparando para começar a jornada? Então baixe o e-book “Aprendizado em inglês: desvendamos os principais mitos para você”, com informações preciosas para sua preparação. Depois, é só se organizar e estudar com dedicação para ir bem nos testes!

Sobre o autor

Fluenglish

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer saber mais sobre as novidades em RH?Inscreva-se em nossa newsletter